O "caso" MATIC

É com pouca surpresa que vejo pelas caixas de comentários dos blogs do MAIOR, os nossos adeptos a crucificarem Jazuz por não ter trocado Matic por Aimar.



Entendo a frustração, e confesso que ao ver Aimar a sair de campo, mesmo sem saber quem ia entrar, disse e ao meu amigo Paulo Dias, do Joelho de Izmailov, que íamos perder o jogo, e até adivinhei no resultado.

 Infelizmente, não tínhamos soluções para o seu lugar, e a única esperança era que Rodrigo entrasse com muita pujança no jogo e conseguisse, junto com Nolito, anular o Fernando, mas, devido à traulitada do Burro Alves, ou só porque não estava inspirado, Rodrigo foi abrindo espaço para os defesas portistas subirem no terreno, acabando por dominar o resto do jogo (ainda mais notório após expulsão de Emerson.)

Não vou apontar o dedo a Jazuz por não meter Matic em vez de Rodrigo. Isso é inconcebível, pois Matic está longe de ser uma solução, como TODOS vocês, que agora criticam, antes disseram. Nesta situação impunha-se sim, a entrada do último jogador que transportava a mística. A nossa mística. E que agora deve estar a comer um bom frango assado e um naco de broa perto do elevador do Bom Jesus.



Ruben Amorim. Que saudades... (do Ruben e das frangalhadas ao pé do elevador.)


3 comentários:

jzz disse...

eu só critico o jazuz por não ter metido o matic depois da expulsão, aquele empate a 2 seria um mal menor...

Vitto Vendetta disse...

Eu não. Ter o Matic e não ter é a mesma coisa.

MS disse...

Veio por um desconto de cinco milhoes na venda de David Luiz. "Passe avaliado em cinco milhoes".

Infelizmente, queriam dizer pissa aliviada em seis milhoes.