Sporting-Benfica : para rir e chorar...

Post mais sério sobre o que aconteceu no fim de semana e sobre o corte de relações entre as duas  únicas instituições desportivas nacionais em Portugal.

1. Não podemos ser reles nem mesquinhos. Ou melhor, não devemos... Não devemos ser como os Migueis Guedes e os restantes "comentadeiros" da televisão : moralistas rastejantes (como todos os moralistas são) que começam pelo politicamente correcto (o "todos os clubes sofrem do mesmo mal") para acabar a apontar o dedo aos outros e não olhar para si mesmos.... de tal forma que, no final, parece que apenas uns sofrem do mal.

2. Neste fim de semana houve benfiquistas que abusaram, que ultrapassaram os limites. Esses benfiquistas não compreenderam que, com aquela tarja, não estavam apenas a insultar os sportinguistas (ou mais grave ainda, a manipular a desgraça de uma familia para picar o rival). Estavam também a relembrar um dos momentos mais vergonhosos pelos quais o Benfica e os benfiquistas passaram ao serem associados áquele acto. Há que ter memória e lembrar aquela tarde passada na televisão (foi pela televisão que vi o jogo) sabendo que uma "arma" tinha sido lançada do lado dos adeptos benfiquistas que acabou por matar uma pessoa. Se Portugal não fosse um Estado onde a falta de caracter parece ser a condição necessária para atingir altos cargos, o jogo tinha acabado ali... ou pelo menos o troféu não teria sido atribuido a quem quer que seja, Benfica ou Sporting, porque tal troféu estava manchado pela perda de uma vida humana. Tudo continuou como se nada tivesse passado... é triste. A melhor homenagem a fazer a quem perdeu a vida teria sido o vazio no palmarés da Taça de Portugal 95-96.

3. Durante o jogo de Domingo certos animais acharam que tinha piada lançar petardos e tochas para cima de pessoas que estavam tranquilas nos seus lugares. Isto é não ter um minimo de consciência nos actos praticados... Sei bem que muitos outros acontecimentos tiveram lugar e que vão além dos adeptos benfiquistas. Mas, como disse, que cada um exponha a sua lista conforme a sua consciência dita. Quem não o faz apenas demonstra que vale tanto como quem pratica actos revoltantes : chama-se ser cumplice pelo silêncio... e o politicamente correcto é tudo menos uma tomada de posição.

4. Dito isto, o corte de relações. É ao mesmo tempo hilariante e triste. Primeiro, é hilariante porque trata-se de uma reacção completamente desproporcionada. O corte de relações não vai melhorar em nada a situação. Vai piorá-la. Ela vai aumentar o ódio dos sportinguistas que pensam efectivamente que os adeptos benfiquistas são todos umas bestas e que eles, pelo contrário, são umas vitimas que, enquanto tal, têm o direito a tudo (nem que seja a reproduzir os mesmos actos que criticam). Como é óbvio, não é isto que é hilariante. O que é hilariante é que, se partirmos do principio que este corte de relações não vai melhorar as coisas (não vejo como pode melhorar a situação), então a sua motivação é outra. Aqui não sei, entramos na especulação. Eu vejo muitas hipóteses, entre as quais a mais evidente : descarregar a forte azia daquele golo aos 93 minutos. Ou então outra ainda! Não pensar que o melhor Sporting da década não consegue ganhar a um Benfica muito, mas mesmo muito fraquinho como aquele que se apresentou em Alvalade. Sei lá! Tanta coisa... mas sabemos o que não é de certeza.



5. O corte de relações é triste porque é criar uma ruptura entre, como disse no inicio, as duas únicas instituições desportivas nacionais que, por esta mesma razäo, deveriam relacionar-se com respeito e dignidade. Contudo, é dificil olhar para o Sporting com respeito quando um puto de claque decide manipular o Benfica para agradar aos seus adeptos, muitos dos quais ainda não perceberam que quanto maior for o seu anti-benfiquismo, menor é o seu sportinguismo. Com este corte de relações, temos mais um episódio do BdC versão demagogo e populista, mais uma decisão que tem tudo para agradar muitos sportinguistas, mas que não avança em nada a resolução dos problemas do futebol português.

Para concluir, o Benfica poderia ter tido uma intervenção relativa aos acontecimentos do fim de semana. Não sei bem o quê, mas qualquer coisa para manifestar o seu desagrado em relação às atitudes de alguns dos seus adeptos. Contudo, o Sporting, com este corte de relações, em vez de pensar numa forma de resolver o problema da violência (forma a qual passa necessariamente pelo diálogo pois a violência afecta-nos a todos), pretende pelo contrário manter a fogueira bem acesa... para bem do seu Presidente.

2 comentários:

nuno leão disse...

Até me interessa mesmo olhar para o nosso lado e não para o lado deles. Se eles acham que estão bem que continuem. Mas no nosso caso, a direcção já está demorar em intervir, e parece que só o vai fazer quando fizermos um jogo à porta fechada. Estamos mais que fartos de ser avisados nos jogos uefeiros, faz-se o aviso ao público e estes palermas insistem em fazer ouvidos de mercador... acham piada. Quanto mais não fosse pelo dolo que estão a provocar ao clube já deviam ter sido penalizados. Já nem vou abordar o dolo que fazem ao futebol, e que seja por causa destes idiotas que muitas pessoas se afastam dos estádios.

Benfiquista Primário disse...

CLAP CLAP CLAP