Real Madrid e Barcelona fora da final, com formas de eliminação e lideranças diferentes.



“O líder acredita e faz acreditar.”

Apesar do “divórcio” entre alguns jogadores madrilenos e o seu treinador, ontem a equipa lutou até ao fim. O desenrolar do jogo podia ter sido outro se surgisse um golo nas três oportunidades flagrantes criadas nos primeiros 15 minutos, assim como poderia ter outro rumo caso o Borussia aproveitasse as oportunidade de que dispôs. Para a História fica o resultado de 2-0, de uma equipa que acreditou e chorou a eliminação e falha a final por 1 golo.

Por outro lado, em Barcelona, onde se vive normalmente em harmonia entre jogadores e equipa técnica, no jogo de hoje não se acreditou, e foi notória a ausência de crença desde o início do jogo da equipa catalã. A face dos seus jogadores ao longo dos noventa minutos revelava esse estado de espírito. O auto-golo de Pique é sinal de desnorte e, a perder por 2-0, sentia-se que o resultado não ficava por aqui, pois faltava o golo do predestinado Muller, que tem sempre o dom de marcar nestes momentos. Para a História fica o resultado de 3-0, 7-0 no total das duas mãos.

Reforço a minha opinião de que caso Mourinho saia do Real Madrid no final da época, por iniciativa própria ou não, trata-se de uma passagem de poder para os jogadores e, assim, independentemente de quem seja o próximo treinador, mesmo um Barcelona que não está no seu melhor (pois não acredito no final do ciclo Catalão), continuará a reinar em Espanha.

Relativamente a Bayern de Munique e ao Borussia de Dortmund, acabaram por ser as melhores equipas e jogam a merecida final no dia 25 de maio em Wembley.

Mas… podemos antecipar este momento e assistir ao Borussia de Dortmund - Bayer de Munique no próximo fim de semana, dia 4 de Maio, a contar para a 32ª jornada da Bundesliga.



9 comentários:

Vitto Vendetta disse...

Bem-vindo à tasca, Bruno :)

Como já lhe disse, é uma grande honra termos mais um correspondente internacional, e logo um que percebe mesmo de bola!

Grande abraço e bons 'posts'.

David Duarte disse...

Seja bem-vindo!

Sobre o Mourinho, não posso deixar de pensar que a eliminaçao face ao Dortmund constitui o primeiro real fracasso da sua carreira (pparto do principio que ele vai embora). Nao nos esqueçamos que a sua contratação foi feita tendo em vista dois objectivos : acabar com a hegemonia do Barcelona e conquistar a décima.

Ora, se Mourinho conseguiu vencer um campeonato (batendo todos os records) face a uma das melhores equipas de todos os tempos e inverter a tendência dos jogos Real-Barcelona, a não conquista da décima é uma nodoa no seu curriculum que penso que ficarà bem presente na sua carreira.

Para mim, esta eliminação dos clubes espanhois é uma lufada de ar fresco no futebol europeu que, jà hà alguns anos, tem vivido na orbita dos confrontos entre Barcelona e Real. Existe mais futebol para além deste duelo!

B Cool disse...

Dasse ... esta tasca ainda vai virar restaurante michelin com estrelas ...

Aí o Bruno deve saber explicar porque é que a formação do Benfica está tão atrás da do Sporting (a do Benfica e a dos outros).

Quanto ao post em si, mesmo tendo saneado o Casillas dando uma demonstração de força, bem como a preferência por Coentrão em detrimento de Marcelo, o facto de ter sempre na equipa o Ramos e o Alonso provaram que ele nunca teve suficiente poder para fazer o que queria e que os jogadores tinham sempre o apoio do presidente mais do que ele.

David Duarte disse...

Não sei B Cool. Penso que a presença do Alonso nos titulares é indiscutivel. Jà a do Ramos, o caso é diferente. Penso que a central tanto Pepe como Varane, mesmo se ainda miudo, são melhores. Nos titulares, apenas o vejo como defesa direito.

rui disse...

A situação tambem era diferente,enquanto o Real precisava ganhar por 3 a 0 ao Borrussia,dificil mas nada impossivel,o Barcelona tinha de ganhar 5 a 0 a um bayern,normal a descrença ser maior. Vi os 2 jogos porque gosto de ver futebol mas honestamente estavame mais era a cagar para quem chegase á final apesar de gostar que o real la estivese,quem ja passou pelo estrangeiro tem sempre aquela tendencia que alguns idiotas chapados consideram absurda de torcer e preferir os portugueses

Roberto Rensenbrink disse...

O Barcelona é uma equipa de rotos... não nesse sentido, mas no de que o treinador suplente do treinador suplente, à Jesus do início do consulado na Luz, rebentou com a equipa ao jogar sucessivamente com o mesmo 11.

Ou seja, a besta rebentou com a equipa, que acumulou cansaço e lesões.

Como disse noutro «post», a melhor equipa do momento é o Munique.

E Mourinho falhou redondamente, pois (1) não roubou a hegemonia ao Barcelona e (2) não conquistou a décima.

dezazucr disse...

E é curioso que Mourinho teve uma segunda oportunidade inédita dada por Florentino ao mantê-lo no 2º ano, mesmo apesar de ter sido trucidado pelo Barcelona (chegou a perder 5-0 em Madrid) no primeiro, ganhando este o Campeonato e a Champions. Valeu-lhe o seu currículo e a sua forma de espernear sempre para não ser despedido. Basta lembrar que no ano anterior o Pelegrinni também perdeu e foi logo despedido. Já para não mencionar que nunca conseguiu impôr um estilo apelativo neste seu Real Madrid. Fêz o que pôde, mas deu-se mal porque não pôde incutir a sua estratégia habitual do "ninguém gosta de nós" a disparar contra tudo e todos. O Real nunca podería assumir uma postura de underdog, o que lhe dificultava a pressão que costuma fazer sobre os árbitros.

Rafael Ortega disse...

Não me parece que tenha acabado com a hegemonia do Barcelona.

Ganhou 1 campeonato, perdeu outro, está a beira de perder mais um.
Supertaças e taças foi uma de cada para cada lado.

Equilibrou os jogos entre as duas equipas mas só depois de instituir a táctica do autocarro. Quando tentou jogar de igual para igual perdeu 5-0.

Unmasked disse...

Bem vindo Bruno Lage. Mais uma grande contratação aqui para o tasco.