Até sempre, presidente!

Estou aqui, hoje, pedindo perdão por usar esta plataforma de tons encarnados, para falar de uma das grandes figuras do Sporting, e dos mais competentes dirigentes desportivos nacionais.

O ex-presidente João Rocha.


Não era para falar deste assunto, porém, faço-o por inspiração de um camarada encarnado, com quem raramente estou de acordo em assuntos futebolísticos, excepto quando se trata de criticar a corrupção e uma certa forma de fazer as coisas no futebol nacional: Carlos Alberto, uma pessoa que lentamente aprendi a respeitar, se e quando relativizo a opinião blogueira...

Dizer que João Rocha era um enorme sportinguista, é um enorme "undestatement".

Deixou obra feita no clube, como poucos presidentes depois de Stromp, não só a nível de futebol, mas nas modalidades e até na infraestrutura do clube, no estádio de Alvalade. Tudo isso fez, sem prejuízo do futuro do clube e da saúde financeira deste. O truque, é simples:  sempre colocou os interesses do clube Sporting à frente de todos os outros, inclusivé os próprios.


Era também um arguto líder desportivo, que durante o seu consulado, teve a capacidade de detectar a ascensão azul e branca no plano desportivo nacional, indentificando-a imediatamente como prejudicial para os interesses leoninos.


João Rocha tinha a consciência que o Sporting é grande por si. Um dos maiores da Europa. E toda essa grandeza, sem recorrer a processos pouco claros de gestão, ou mais exactamente e precisamente por não recorrer a eles.

Era deste homem, um sportinguismo enorme com o qual me identifico imediatamente, por ser semelhante ao que o meu falecido pai me passou e ensinou desde pequeno, mas também pela noção, que partilho, não por pretender ter a mesma clarividência dele, mas simplesmente por eu não ser lisboeta e daqui ter a noção que a maior rivalidade com o Benfica, embora intensa, é bastante mais saudável do que qualquer hipotética aliança com o Futebol Clube do Porto, ou mais exactamente, com o seu presidente Pinto da Costa.

João Rocha desde sempre foi contra essa estratégia e alertou sucessivos dirigentes leoninos contra os seus perigos.

Dias da Cunha seguiu o seu conselho e inspiração e actuou contra esse sistema, obteve sucesso num primeiro momento, mas foi posteriormente desacreditado por algumas franjas de supostos sportinguistas (e, não esqueçamos, a maioria dos benfiquistas...)

É a mesma descredibilização que observo que alguns agentes do sistema interno que tem gerido os seus próprios interesses dentro do clube, agora tentam lançar sobre um ou outro candidato à presidência leonina.

É uma jogada desonesta que me indica ser precisamente esse o caminho a seguir a bem do futuro do Sporting Clube de Portugal, esse grande amor do presidente João Rocha.

Até sempre, presidente!



«Quando saí, deixei o clube sem dívidas, com passivo zero, jogadores valorizados zero, estádio valorizado zero, tudo a preço zero e nada reavaliado. Além disso, 300 mil metros quadrados de construção aprovada, o que em termos actuais e se o Sporting tivesse sido administrado como deve ser, faziam dele hoje um dos maiores clubes da Europa. Só nesses 300 mil metros quadrados tinha um valor de 120 milhões de contos [...] Eu saí. Não podia ficar, porque tinha uma doença grave. Nos últimos dois anos, já assistia deitado às reuniões da direção. Só bebia leite e um médico americano disse-me que eu tinha de decidir entre a morte e o Sporting. Eu queria viver mais alguns anos e saí. Depois, o passivo foi aumentando ao longo dos anos, até que chegou José Roquette com o seu projeto. O Projeto Roquette liquidou o Sporting. Ninguém soube o que era o projeto, porque ele não dizia. Sabia-se, apenas, que era uma dezena de sociedades, dirigentes e funcionários superiores a ganhar centenas de milhares de contos. O projeto foi reduzir os sócios de mais de 100 mil para pouco mais de 30 mil, foi acabar com as modalidades amadoras, foi vender património, foram dezenas e dezenas de milhões de contos de prejuízo que não aparecem nos resultados, porque parte deles foram executados pelo Sporting. No caso da SAD deram-se informações falsas aos associados e à própria CMVM para a entrada na bolsa».
A 30 de março de 1973, Valadão Chagas é eleito presidente do Sporting, mas um convite de Marcelo Caetano para o cargo de diretor-geral dos Desportos leva-o a renunciar, no próprio dia da tomada de posse, 4 de abril. Manuel Henriques Nazareth assume interinamente a liderança do clube de Alvalade. Intensificam-se os contactos com João Rocha que, na sequência da Assembleia Geral de 7 de setembro, assume a presidência. João Rocha não pretende transformar “o Sporting num centro de negócios”. Procura “encontrar mais receitas que lhe permitam ser cada vez melhor naquilo que foi fundado”. Das linhas gerais do projeto, “vasto mas inadiável”, consta a construção da Cidade Desportiva. [...]  A parte final do campeonato 79/80 leva-o a entrar, mais forte do que nunca, em polémicas com o FC Porto. O Sporting desloca-se a Guimarães, na penúltima jornada e, graças a um auto-golo de Manaca, sagra-se campeão. Pinto da Costa lança suspeitas sobre o ex-defesa do clube leonino, que responde: “Não fui subornado pelo Sporting mas estava aliciado pelo FC Porto. Com a derrota do Vitória fiquei a perder 100 contos”.

22 comentários:

Carlos Alberto disse...

RESPECT

Roberto Rensenbrink disse...

João Rocha tornou o Sporting muito mais eclético.

Saiu porque não conseguia conviver, respirar no mesmo espaço que os corruptos. Nesse ponto, distanciou-se de outro homem bom, Fernando Martins, que sempre deu o braço ao mafioso de Contumil e permitiu que o polvo se instalasse.

Os meus pêsames à família de João Rocha e à família sportinguista.

Nuno V. P.de Melo Ferreira disse...

As minhas sentidas condolências à família enlutada e a toda a família Sporting Clube de Portugal. Que descanse em Paz.

lawrence disse...

João Rocha granjeou um respeito que ultrapassa as cores das plataformas ò Valderrama!
Quando toca a pessoas de espinha direita, elas tem "assento" em todo o lado!
É que cada vez há mais cadeiras vazias para esse tipo de pessoas!
Que pelo menos alguns Sportinguistas saibam respeitar a memória de João Rocha!
Assim como alguns Benfiquistas tentam respeitar a de Cosme Damião!

David Duarte disse...

Respeito por um grande presidente e um grande homem. Deixa um grande legado ao Sporting e ao futebol português!

P.S.: momento tesourinho deprimente. Apresentação do plantel do Beira-Mar para a época 88/89. A ver sobretudo a partir dos 40s com a apresentação dos reforços. Num blog que faz do cabelo a essência mesma da natureza e dignidade humana, não podia deixar de postar isto aqui.

http://www.youtube.com/watch?v=uRwl56nhS2w

E PLURIBUS UNUM disse...

Morreu, o último Presidente do Sporting, aquele que via o Desporto com o verdadeiro carácter, dos homens que viveram no futebol com rectidão e ética, com coluna vertebral e respeito pelos seus adversários.
Este, para além do último grande presidente do - até então nosso rival -, foi igualmente o último a transportar a identidade, que as seguintes direcções desperdiçaram, de um clube centenário.
Como Benfiquista, nunca vi o Sporting como um Clube amigo, mas como o nosso maior rival, que outros, mal intencionados, trataram através de alianças forjadas nos bastidores do "calor da noite", de alterar a rivalidade para um conceito que lhes serviu a estratégia, em que o Sporting nada ganhou. Transformaram a rivalidade em ódio e o SLB os seus inimigos.
Aqui, jaz o Sporting, o que temos tido desde o afastamento do Presidente João Rocha até hoje, são lideranças de um outro clube, lagartagem, osgas, seja como for, são invertrebados.
Esta é uma homenagem de um Benfiquista ao "último dos moicanos", quero dizer, de um homem integro que liderou um clube, que foi o nosso grande rival durante quase um século.
Nunca gostei do Sporting, mas sempre respeitei os Sportinguistas, os lagartos não!!
Descansa em paz

David Duarte disse...

Porra, o que terà sido feito do Barradas?

David Duarte disse...

Eu a gozar com o Barradas e o gajo chegou a ser campeão nacional com o Porto...

Vitto Vendetta disse...

Muito bom, Valdemar. Respeito!

Ricardo disse...

Respect!RIP

Luis disse...

RIP

Que sirva para abrir os olhos dos lagartos. o inimigo está a Norte, não do outro lado da 2ª circular.

karlos disse...

este sim era um autentico LEÃO ...
paz a sua alma e q Deus seja justo com ele....

Asimov disse...

é pena é que além de ser um grande presidente do sporting segundo muitos, ser também um grande empresário português , dono de um império da noite mafioso e com ligações muito próximas a carteis sul americanos de import export. Ainda bem para todos vocês que o acham um grande homem não conhecerem esse lado tão sui generis desse grande aldrabão. ps: os filhos são piores ainda

rui disse...

que moda é esta do Rip?? A uns anos atras pouca gente em Portugal sabia sequer o que isso queria dizer..hoje tudo usa,ja somos ingleses é??takevospareu...

Valdemar Iglésias disse...

Significa ripa na rapaqueca.

Relax, man.

LDP disse...

É um bom post. Pelo tema e pela forma. Demonstra que o seu autor sabe mais do que somente insultar o Benfica e os seus adeptos como quase sempre faz.

Gostaria de reter isto: "No caso da SAD deram-se informações falsas aos associados e à própria CMVM para a entrada na bolsa"; e a CMVM não disse nada? As Finanças calaram-se? E o Ministério Público, já tinha a agenda preenchida não era?

Anónimo disse...

O mais relevante aqui é mesmo descobrir que é a tesuda na primeira foto.

Fora isso, morreu um Sportinguista com S grande, não como a grande parte dos que anda por aí hoje em dia. Um senhor.

Roberto Rensenbrink disse...

1. O Rui é um ignorante. A expressão é latina, não inglesa.

2. O Sporting continua a sua recuperação: ganhou um ponto a Estoril e Marítimo.

POC disse...

Parece que era um dos bons.
Condolências à família sportinguista e à de sangue.

Pedro disse...

Foi este homem, tão elogiado pelos verdes, que afirmou, publicamente, a aliança entre sporting e fcp contra o SLB.

Alien David Sousa disse...

Excelente texto.

Saudações alienígenas

LC disse...

"que moda é esta do Rip?? A uns anos atras pouca gente em Portugal sabia sequer o que isso queria dizer..hoje tudo usa,ja somos ingleses é??takevospareu..."

De onde é que este saiu? foi raspado?

temos o "mimimi" segundo, é?

Otário, ainda não te ensinaram a usar o Magalhães? Tens bom remédio, vai ao confessionário, faz um bico ao padre aí da aldeia e pergunta-lhe o que quer dizer R.I.P.