Mérica 2 - 2 Bigodes

Começo por dizer que, ao intervalo, vi-me forçado a continuar a ver um documentário sobre o maluco que foi viver para o meio dos ursos no Alaska, porque não gostei nada da primeira parte, e o bocejo já era sistemático.



Tenho esse problema. Às vezes estou tão entusiasmado com um jogo durante toda a semana (liga dos campeões, confederações, copa america, mundiais, europeus) que quando chega a hora, e o jogo é aborrecido, eu tomo uma medida drástica. Para mim, e à semelhança do maluco que foi viver para o meio dos ursos no Alaska, o futebol é um desporto de sonhos, e não um negócio ou tudo aquilo que as pessoas queiram fazer dele. Cada um terá o seu jeito de ver as coisas, claro, mas eu preferi não atraiçoar o meu gosto pela bola, e por este mundial que está a ser soberbo, do que continuar a ver aquele jogo sem interesse no plano jogado (mas com imenso interesse para o futuro na competição).

Quanto voltei a espreitar, estava empatado, e voltei ao meu filme, para na volta seguinte, já estarmos a perder por 2-1, o que me fez fixar durante os últimos 15 minutos colado no jogo, e não me arrependi. Na verdade, é disto que eu gosto, e se me conseguir (como consegui, pelo menos por agora) abster da nacionalidade, só posso ficar contente com estes últimos minutos alucinantes, e com o golo no fechar do pano, que é sempre algo que duplica as emoções. Claro que não acredito na passagem aos oitavos, mas isso pouco me interessa, o que me interessa é o sonho, e foi um sonho aquele final para os adeptos do futebol, para os adeptos desta fantástica Copa.

Não vou entrar, COMO NUNCA ENTREI, em pormenores técnico-tácticos ou o caralho porque não sou treinador (obrigado JotaJota por teres dito aquilo, a sério, pau no cu dos jornalistas, comentadores, facebookers, twitadeiros, bloggers, e tudo o que pensa que é melhor treinador que Paulo Bento, que JotaJota, ou até que o Paulo Fonseca), mas confesso ter ficado triste com a inclusão de Nani, e estou plenamente convicto que o golo dele foi um pacto com o diabo, pois fez com que ficasse em campo até ao fim (ok, não estou nada, nem acredito nessa merda do dIabo), mas mais uma vez, foi a escolha do homem, e não vou atirar-lhe pedras por causa disso.

Este mundial mostrou uma equipa portuguesa obviamente cansada, com jogadores que levaram a sua forma ao pico máximo durante a época (Pepe fez uma segunda parte de temporada extraordinária, Ronaldo fez todo o ano, Coentrão idem, Beto no Sevilha com mais de 60 jogos, Rui Patrício com mais de 60 paus no cu, Eduardo a ter de resolver imensas vezes a cagada dos defesas do Braga), e isso, a mim, serve-me como atenuante.

Uma coisa que não perdoo foi todo o circo que se montou (como sempre) à volta da seleção, com um estranho enfoque em Ronaldo (nos outros anos não foi tão acentuado), e que é só mais uma prova do estado degradante ao que o nosso jornalismo chegou, com diretos de 30 minutos a dizer ciclicamente as mesmas coisas, um conteúdo de merda. Um verdadeiro exemplo é ter de esperar pela hora do jogo, e ver na BBC, para saber que o único adversário Europeu que os USA conseguiram bater desde o início da sua seleção foi Portugal. Isso sim, essa informações, curiosidades, e tantas outras coisas é que deveriam fazer parte dos imensos directos levados a cabo pelos nossos jornalistas, e não estar sempre a repetir baboseiras sobre o Ronaldo, atirar (ai o que me irritou essa merda) os 11 no dia anterior com toda a certeza (e claro, não ser nada naquilo no dia seguinte), entre tantas outras coisas.

Este acaba por ser um desabafo desencadeado por um post no facebook do Tiago Nogueira, que se queixou de algo parecido, e que é algo que me vem atormentado há muito. Se são tão bons no bitaite, porque é que não vão todos treinar equipas da distrital, ou escolinhas, ver se servem para treinadores, subir como eles subiram, e depois sim, podem falar que eu estou aqui para vos ouvir e ler.

5 comentários:

David Duarte disse...

Queres mais uma curiosidade? Em 11 jogos nos Mundiais em que Portugal marcou primeiro nunca perdeu. E em 20 jogos nos mundiais em que os EUA sofreram primeiro nunca ganharam.

1 minuto foi tudo o que bastou à estatistica para não se lixar.

Mauro Nunes disse...

Bom, acho que aqui fica provado que a BBC acha que a Inglaterra não faz parte da Europa:

http://en.wikipedia.org/wiki/United_States_1%E2%80%930_England_(1950_FIFA_World_Cup)

Michael Krueger disse...

O ponto alto do circo em torno do Ronaldo, foi o comentador do jogo ter alientado o penteado do Ronaldo como se fosse algo de util para o jogo.
Seleção de caca que tem um selecionador mafioso, Mendes.

Obrigado e Saudações!

Rui Dias disse...

Mais engraçado ainda foi vê-los a criticar o a Almeida o jogo todo dizendo que por esse motivo é que os amaricanos atacavam sempre por aquele lado...'mas entretanto sai o Almeida e vai o Veloso para aquele lado da defesa....e o espantalho do conentador, claro está, solta mais uma piadola sobre o defesa esquerdo!!!! Nunca em momento algum do joo um deles foi capaz de dizer que os yankees atacavam, não pela esquerda, mas sim pelo lado de Ronaldo que não defendeu uma única vez!!!

O Ronaldo deve comer lhes a peida á grande....

Para lá do Cú de Judas disse...

Eu quero que a seleccao do Mendes so foda! Nunca mais joga o Maior.