O que é apoiar o Benfica?

A reacção de Luisão durante os festejos do segundo golo do Benfica no ultimo Domingo motivou mais um assunto de discordia entre os benfiquistas. Percorrendo a blogosfera, constatamos que existe quem defenda a atitude do capitão, justificando esta posição na afirmação que tal atitude foi, talvez não a melhor, mas a resposta que todos aqueles, que muito provavelmente passaram o jogo a assobiar e que jà se preparavam para mostrar os lenços brancos, mereciam. Outros afirmam que, por muito compreensivel que seja tal atitude, nunca um capitão do Benfica deve baixar-se a esse nivel, sobretudo quando não se trata da primeira vez (reacção contra o arbitro alemão num jogo da pré-época do ano passado). Estes jusitificam esta opinião afirmando que, enquanto capitão, o Luisão é o mais alto representante do clube dentro do terreno, implicando isto que o clube se rebaixe igualmente com o jogador quando este desvaneia.

Trata-se como disse de mais um episodio nos vàrios que recentemente têm motivado muitas discussões entre benfiquistas e que, quer se queira quer não, demonstram a falta de unidade que existe neste momento no apoio ao clube. Ora, parei uns quantos minutos para pensar sobre as razões desta falta de unidade e cheguei à conclusão que, tal como todas as incompreensões entre seres humanos, esta resulta do facto de existirem diferentes representações sobre o significado mesmo da expressão "apoiar o Benfica". Passo a explicar-me:

O que significa "apoiar o Benfica"

Existem dois tipos de significado atribuidos pelos benfiquistas a esta expressão e que estão na origem da atmosfera de conflito na qual a blogosfera benfiquista se encontra. Por um lado encontram-se aqueles para quem apoiar o clube significa que o adepto não pode criticar. Estes vêem o clube como uma estrutura cujo bom funcionamento depende do respeito pela função que cada elemento da dita estrutura tem. Basicamente, os dirigentes devem dirigir, a equipa técnica deve treinar, os jogadores devem jogar e os adeptos devem apoiar. O pressuposto implicito neste raciocinio é o de que, para a obtenção dos objectivos do clube, todos, dentro da sua função, devem trabalhar no mesmo sentido, concentrar as forças na obtenção do que se pretende.

Do outro lado encontram-se aqueles que pensam que a acção do adepto não se limita ao apoio.  O apoio deve existir quando o que està a ser feito em prol do clube é efectivamente benéfico. A acção do adepto não se limita assim a uma relação sentimental com o clube, mas integra igualmente o seu espirito critico, a sua razão. No entender destes, não apenas integra a razão como a exige visto que a base de toda a estrutura são precisamente os adeptos que legitimam ou não a acção dos outros elementos. A liberdade de critica deve ser assim o principio mesmo da relação que o adepto tem com o Benfica.

As razões das diferentes interpretações.

Por que motivo os benfiquistas têm uma opinião diferente sobre o que é apoiar o clube? Na minha opinião tal se deve às diferentes relações que estes têm com o Benfica. Existem dois tipos de adeptos : aqueles cuja relação com o clube é exclusivamente emocional e aqueles que procuram conciliar a emoção com a razão. Não penso que exista quem viva o Benfica, e de uma forma mais geral qualquer clube, de maneira puramente racional. Penso que tal é contradictorio com a essência mesma do futebol. Destes dois tipos de relação com o clube emergem dois tipos de concepção do que é o clube.

Para o adeptos que têm uma relação exclusivamente emocional não existe uma diferença entre o clube e quem o representa. Por outras palavras o clube é quem o representa e isto dos dirigentes aos socios e adeptos. Isto implica uma relação que é finalmente fundada na idolatria. Como assim? Tal como numa religião em que o sagrado não fica no dominio do sagrado mas desce ao profano sacralizando-o, o que implica a confusão entre a divindade e as imagens da divindade, os "adeptos do apoia", como agora são denominados, confundem a sacralidade do clube com a particularidade de quem o representa. Isto faz com que todos aqueles que representam o clube devam ser respeitados e, como Deus, imunes a toda à critica-heresia. O beneficio desta postura encontra-se no facto de mais facilmente conseguir-se a unidade que é condição necessaria para a obtenção dos resultados. Jà o defeito encontra-se no facto de fazer da condição necessaria uma condição suficiente. Se a unidade é essencial ao sucesso, também o é a competência dos elementos de toda a estrutura do Benfica. Não basta, para termos condições objectivas de sucesso, respeitar quem dirige, treina, joga e apoia. Também é necessario que quem dirige, treina, joga e apoia seja efectivamente competente.

Jà os adeptos que tentam conciliar a emoção com a razão, esses adeptos fazem a separação entre o clube e quem o representa. Se os valores do clube são intocaveis, eles pensam que o facto de eles serem representados por pessoas e não por deuses implica que quem representa o clube não està imune ao erro. Neste sentido criticam os benfiquistas que pensam que estão a fazer um serviço ao clube apoiando quem o dirige. Muitas vezes são os "adeptos do apoia" a causa dos males na medida em que, confundindo pessoas e clube, não se dão conta que, com tal apoio, prejudicam o clube em beneficio das pessoas. O beneficio que esta postura dà ao clube é o facto dos adeptos serem igualmente responsavéis pelos destinos do Benfica na medida em que tém como missão fiscalizar as acções de quem o representa. O adepto não se limita então a dizer sim a tudo, não se limita então a dizer "carrega Benfica", mas procura conhecer o clube, lê todos os Relatorios e Contas, segue todas as acções de quem dirige o Benfica e sobretudo aquelas que não passam necessariamente nos jornais. O lado negativo é o facto de muitas vezes serem a causa da desunião dentro do clube. A critica, que ela seja legitima ou não, provoca uma desestabilização na estrutura que não ajuda à obtenção dos objectivos.

nota: a questão não està pois no sentir o Benfica. Todos o sentem mas a relação que uns e outros têm com esse sentimento é que varia. Uns deixam-se inundar por ele, outros tentam concilià-lo com a razão. Neste dois tipos de adeptos não coloco quem assobia e critica no Estadio. Seguindo a minha comparação com a religião, o Estadio é o templo do Benfica e nesse espaço apenas pode existir o apoio pois durante 90 minutos o clube confunde-se efectivamente com todos aqueles que o reprensentam. Por esta razão nem o adepto deve assobiar e protestar, nem o seu capitão deve fazer o que Luisão fez.

E então?

Tentei ser o mais objectivo possivel na minha analise até agora. Neste momento vou tomar posição, a minha, e assim assumir a minha subjectividade. Einstein disse uma vez que apenas existem duas coisas infinitas : a estupidez humana e o Espaço e que sobre este ele não tinha a certeza. Ora estou completamente de acordo. Mas estabeleço uma diferença no interior da estupidez humana: existem aqueles que não têm consciência dela e existem outros que, tendo consciência dela, tentam ultrapassà-la. O adepto que tem uma relação exclusivamente emocional com o clube encontra-se na primeira categoria, o adepto que tenta conciliar emoção e razão na segunda.

Ora, a actual direcção do Benfica vive exclusivamente de e para os "adeptos do apoia". Trata-se de uma estratégia bem eficaz jà que, como em todos os dominios sociais, são mais os que reagem na emoção que aqueles que tentam compreender o que se passa à sua volta antes de tomar uma atitude. Ja Aristoteles dizia que quanto mais simples for um argumento, maior é a sua extensão. Sobretudo se tal argumento for baseado nas emoções. Neste caso a realidade é bastante simples: não existe nuance, apenas existe o bem e o mal, quem apoia incondicionalmente e quem estabelece condições para o apoio, os crentes e os heréticos.

A actual Direcção fez tudo para alimentar a idolatria dos crentes e para eliminar a heresia da critica. O seu Presidente é apresentado como o Salvador, implicando consequentemente que quem o critica queira a destruição do clube. Foram erigidos vàrios monumentos pressupostamente à gloria do clube, mas que são constatemente manipulados para proveito do Salvador e não do clube (o Estadio jà não pertence ao clube, o museu arrisca-se a não receber muitos troféus nos proximos anos). O que o Salvador diz é a verdade eterna, mesmo se ela pode mudar num espaço de dois dias, como acabàmos de ter o exemplo com Vieira a dizer na Sexta-Feira que não aparece nos momentos de vitoria e no Domingo là estava ele na imprensa a comentar o jogo. Mais um exemplo? Tudo neste momento é feito para que o crente tenha que demonstrar a sua crença, tenha que provar que apoia o Benfica. Como? Gastando dinheiro, comprando tudo aquilo de que é inundado constantemente seja pelo facebook seja pelos meios de comunicação diferentes... mas sempre com esta pequena frase que diz tudo "o Benfica és tu"... deixà-lo-as de ser se não gastares....

Por outro lado tudo é feito para eliminar quem utiliza na sua relação com o Benfica não apenas o sentimento mas igualmente a razão. A critica não tem espaço no Benfica actual! Obvio, trata-se de uma heresia. E porque criticar é herético, mesmo quanto se trata de criticas pertinentes, evitam-se debates antes das eleições (o quê? dar a palavra ao mal? devem estar loucos), reduzem-se as intervenções de socios nas Assembleias e quando estes podem falar, o Salvador està concentrado noutras coisas pois, jà se sabe, o que vem de um herético não pode ser benéfico para o clube. Antecipam-se eleições para que o actual Presidente fique no poder: apenas existe uma linha para o Benfica, a do Presidente actual, a Verdade, tudo o resto não é senão fruto desse demonio ainda presente que é o Vale e Azevedo.

Então, mas se a situação muda, ou seja, se Vieira vai embora e aquilo que pensas do Benfica encontre quem o represente dignamente e seja eleito, como é isso possivel se, como tu proprio dizes, a maioria é emotiva e idolatra? Como pode uma concepção do Benfica vencer se ela é minoritària? Não é isso tudo contraditorio? Não!! A maioria que idolatra tem por habito igualmente crucificar! Mas para tal é necessario um choque de tal maneira forte emocionalmente para ter a intuição que finalmente o herético é quem o guia. Infelizmente esse choque emocional so chega com a desgraça do clube. Os sportinguistas deram-nos um bom exemplo disso ao mudar de rumo apenas quando o pior ano da sua historia, quer ao nivel desportivo quer ou nivel financeiro, aconteceu. A unica coisa que eu posso desejar, e aqui encontra-se a minha fé pois a minha razão diz-me o contrario, é que a desgraça não aconteça, e a desgraça num clube como o Benfica é a satisfacção por sermos o que somos actualmente : um clube que ganha 3 titulos nacionais em 20 anos.

Estou em desacordo com muitas coisas nesta actual Direcção e em acordo com poucas. Contudo existe algo que me faz ter a convicção que nunca, por mais sucessos desportivos (improvaveis) que tenhamos, mas nunca a apoiarei e que me farà ser sempre da oposição : o facto, FACTO, de esta direcção ter destruido o principio fundamental, o valor sobre o qual o Benfica sempre evoluiu, ou seja a Liberdade. Durante o periodo fascista o Benfica foi a unica instituição que teve eleições democraticas, foi a unica instituição que fez assim da diferença de opinião o motor mesmo do seu desenvolvimento. Foi o Benfica que foi inaugurar o Estadio da Antas a 28 de Maio, num acontecimento para festejar o aniversàrio da revolução militar que instaurou o regime fascista, derrontando o Porto e assim o regime. Ao contrario deste clube, o Benfica nunca teve como presidente um deputado fascista, tendo mesmo sido perseguido pelo benfiquismo de muitos historicos anti-fascistas, pelo seu hino e mesmo pela sua côr. E neste momento tudo é feito, seja institucionalmente seja pela atmosfera criada em que uma critica é logo alvo da acusação de anti-benfiquismo, para eliminar esta Liberdade que durante décadas o nosso clube representou. Abrir a mão desta Liberdade por alguns titulos é vender a alma benfiquista e faz com que não sejamos em nada melhores que os portistas que pensam que os titulos justicam a corrupção.

31 comentários:

Alberto disse...

Enquanto vocês (a maioria dos bloggers) não se aperceber que a maioria dos adeptos encontra-se, na realidade, no meio dessas duas posições extremas (que de tanto falarem delas já enjoa), a blogoesfera benfiquista vai continuar a merda que tem estado nos últimos tempos.

Apercebam-se, se possível, que se uma pessoa defende uma atitude da direcção/jogador não é seguidista, e uma que critica também não é whatever que vocês lhes chamam.

Esta divisão estúpida está cada vez mais clara, e os blogs são uma das suas causas.

Eu por não me ter ofendido com a atitude do Luisão - e só quem segue futebol há meia dúzia de dias pode achar que aquilo foi uma falta de respeito a "quem lhe dá de comer" - faz de mim um "seguidista" um adepto emocional que não racionaliza bla bla bla então seja...

Não alinho é nesta divisão de Benfiquistas estúpida que se vê pelos blogs - e que até há pouco tempo ainda não tinha contaminado o Cabelo...

pitons na boca disse...

Não deixa de ser uma boa dissertação mas que peca grandemente, na minha opinião, por um simples detalhe: caracterizas os dois extremos do espectro, fazendo crer que engloba a grande maioria dos adeptos.
Demonstras as cores preto e branco, quase como se não houvesse tons cinzentos pelo meio. E aí é onde eu penso que está o maior erro, pois acredito que é nessa enorme zona cinzenta que se encontra a esmagadora maioria dos benfiquistas.

No processo atribuis a racionalidade apenas a um dos lados do espectro e ao outro a total idolatria aos "deuses de barro".
Pessoalmente não me arrisco a tanto. Prefiro acreditar que, exceptuando uns quantos maluquinhos de um lado e do outro, há racionalidade e idolatria em doses semelhantes, mas em sentidos e ideologias opostas.

Paulo disse...

"costatamos" que existe quem defenda a atitude... preparavam para mostrar os "leços" brancos...

Entretanto perdi a vontade de ler.

David Duarte disse...

Alberto e Pitons,

Este texto foi motivado precisamente pelas reacção ao caso Luisão (e a outros acontecimentos), as duas posições de que falo sendo efectivamente dois extremos que cada vez mais dominam as relações entre os adeptos. Não penso que sejam as unicas, mas o grande problema numa situação de tensão que é cada vez mais intensa é que precisamente as posições radicalizam-se. Foram essas posições radicais que quis compreender.

Paulo, se te desses ao trabalho de ler o texto não dirias a idiotice que acabaste de dizer.

Rusty Ryan disse...

David Duarte,

Se há textos que fazem falta nos blogs de Benfiquistas, este é um deles. Efectivamente, este é um tema que dá que pensar e foi aqui, para mim, explicado na perfeição. Esta frase "Se a unidade é essencial ao sucesso, também o é a competência dos elementos de toda a estrutura do Benfica. Não basta, para termos condições objectivas de sucesso, respeitar quem dirige, treina, joga e apoia. Também é necessário que quem dirige, treina, joga e apoia seja efectivamente competente." está sublime. Aliás, como tudo o que foi escrito.
Parabéns

jose disse...

Hmmm, os Benfiquistas dos blogues estao mais ao menos assim neste momento

http://youtu.be/9foi342LXQE

O pior e que estao todos a espera de algo assim

http://youtu.be/Zjz16xjeBAA

Passamos por isto nas ultimas eleicos. Voltamos a mesma conversa no fim de cada epoca. Ah e tal, pagamos os ordenados, merecemos respeito. Mas ao mesmo tempo podemos mandar tudo e todos para a puta que os pariu (no estadio, nos blogues, onde quer que seja) podemos criticar sem pudor todas e qualquer iniciativas feitas por esta direcao , tecemos loas aos nosos adversarios, enquanto esperamos por um Don Sebastiao, seja ele quem for (isso pouco interesa para alguns), enquanto apelidamos uma grande maioria de socios e adeptos de cao para baixo
so porque estes apenas querem opcoes crediveis para o futuro, em vez de ataques pessoais ao que la estao.

Mas enfim, siga o ruido. A decisao esta feita , so falta o castigo

http://youtu.be/zrzMhU_4m-g

MoJoDeath disse...

José é muito bonito citar os Monty Python e tal, mas diz-me como é que acabaram os romanos e Roma mesmo?

E gosto deste também:

http://www.youtube.com/watch?v=Tym0MObFpTI

Rear disse...

Nem 8 nem 80... nem 8 nem 80...

Henrique disse...

Bem tentaste disfarçar, não com muita eficácia, que consideras a grande maioria dos Benfiquistas, os tais do "apoia", um bando de retardados. Tudo como d'antes, quartel general em Abrantes.

O facto de não haver união no que toca ao caso do Luisão para mim é sintomático de um sector do Benfica ser contra a actual direcção a um nível que roça o delírio. Um exemplo sintomático é o caso Cardozo, jogador que nunca foi consensual no universo Benfiquista, de repente foi tornado mártir maior da luta contra o Vieira e contra o Jesus. Grande parte dos que hoje afirmam que a atitude do Luisão é crime de lesa pátria, são muitos dos que rapidamente desculparam o Cardozo, atribuindo grande parte da responsabilidade ao JJ e ao LFV. Normal, no estado de histeria a que chegou grande parte da Blogosfera (está generalização está contextualizada pelo teor do post).

Como vocês (aqui incluo quem se diz contra a direcção) não conseguem apresentar uma alternativa ao Vieira que consiga atrair votos numa situação em que não há sucessos desportivos, deveria dizer muito sobre a mediocridade dessas mesmas alternativas. Mas como tal não pode ocorrer, estando vocês, naturalmente, do lado da verdade e da seriedade, só resta uma explicação, já amplamente usado por comunas desde há 100 anos: se o povo não escolhe o nosso caminho, que é tão belo e virtuoso, é o povo que está errado. Como diria alguém, resta mudar-se o povo, que não faltarão amanhas que cantem. Claro que esta classificação dos Benfiquistas é profundamente anti-democrática, pois o respeito pelas eleições e pelos consócios não é apenas não se queimarem as urnas, tem de ser, também, um mínimo de respeito pela sua opinião e não classificá-los como um bando de idiotas, coisa amplamente feita na blogosfera, e em particular neste post.

Para terminar vou-te fazer uma pergunta, se permitires: como enquadras os "supporters" dos clubes ingleses na tua definição de adepto?

Um abraço

jose disse...

MoJoDeath, tudo acaba. Ate os Nazis fizeram algo de positivo (volkswagen). Nao percebeste o conteudo pois nao? O circo esta montado, e nao importa como acaba o numero final, ha quem ja tenha a opiniao formada e nao ha nada nem ninguem que lhes mude a mesma.
Fazerem algo melhor, isso e que e mais dificil de concretizar, e aqueles que estao a espera de algo melhor sao olhados e tratados com desden.
Tal como os Romanos, embora as bases lancadas por eles ainda hoje sao bem visiveis.

DeVante disse...

Concordo com os dois primeiros comentários.
Temos de concordar com tudo o que dizem porque senão catalogam-nos de seguidistas ou anti.

Quem apoiava a direcção agora não pode criticá-la porque "ah e tal, demoraste n anos a perceber o óbvio" e, por isso, não percebe o Benfica da mesma forma que uns (poucos) iluminados, eles sim os sabichões e portadores da "verdadeira mística". O curioso, é que são os mesmos que acusam esta direcção de ter acabado com a democracia no Benfica.
Reconhecendo isto, não quererá dizer que apoio esta direcção, mas também não quererá dizer que ela caia já que depois logo se vê, porque corremos o risco do clube cair nas mãos de um qualquer.

O que me faz realmente confusão é a falta de alternativas. Porque não aparece ninguém? De todos os notáveis benfiquistas que por aí andam (até o Presidente do COP) não há ninguém presidenciável?

Ricardo disse...

Olá texto que vai directamente para o top-5 dos posts do ano. Top-3, se calhar. É capaz de ser o post do ano.

David Duarte disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ricardo disse...

Lendo os comentários, percebo a ideia do pedido de haver "cinzentos". É verdade, há muitos cinzentos. Quase todos somos cinzentos, se nos resumirmos ao conceito simples de que ninguém está totalmente contra a Direcção ou totalmente a favor. A questão aqui tem de ser mais directa e menos politicamente correcta: razoavelmente preto ou razoavelmente branco - ou seja, o adepto que, apesar de discordar de algumas coisas, apoia a Direcção; o adepto que, apesar de concordar com algumas coisas, não apoia a Direcção -, a verdade é que, pesando os nossos gostares e desagrados, todos temos uma posição que, em funil, vai dar à pergunta? Queremos quem nos governa ou não? E aqui é, lamento, branco e preto: há o "queremos" e há o "não queremos".

Como em política - área na qual podemos inscrever a mesma pergunta: "este governo serve ou não?" -, no Benfica as pessoas têm de assumir o que defendem. Claro, cinzentos como todos somos, mas... somos mais branco ou mais preto? É que é bonito dizer "eu faço parte dos que estão no meio" mas isso na verdade não diz nada. Há que perguntar então aos que acham que não são nada, o tudo: «queres continuar a apoiar esta Direcção ou queres uma mudança?». Sim, a vida às vezes é isto de tão simples.

Depois poderemos debater as alternativas conhecidas - as existentes (más, péssimas) - e as que poderão surgir se a actual Direcção não tiver o poder que tem. É um dos pontos que nunca é discutido: o que poderá aparecer se a Direcção estiver fragilizada. Percebo que seja difícil de ver a coisa, mas é esse, para mim, o caminho: potenciar novas candidaturas, de novas pessoas, de pessoas competentes, que neste momento, por motivos óbvios, não aparecem. O motivo óbvio é óbvio: qualquer gajo que apareça a criticar a Direcção actual e se revele como oposição levará os insultos e epítetos necessários a ser logo enxovalhado em praça pública.

É bonito o adepto querer afastar-se do seu dever de adepto e dizer: "mas, reparem, eu sou cinzento, vocês, brancos e pretos, é que são uns radicais de primeira". É bonito, mas tem qualquer coisa de desonesto. Ou a pessoa assume o que quer para o seu clube ou passará ao lado da discussão. É mais fácil, claro - isto de criticar a Direcção actual dá trabalho e chatices -, mas não resolve nada. Para o que é cinzento mas afinal sempre foi a favor e agora abriu os olhos, talvez deva, na vez de querer dizer que é cinzento, assumir-se como pessoa pensante, activa e decidida.

David Duarte, tu és o man. Obrigado pelo texto. Só não te convido para o Ontem porque sou um gajo que tem respeitinho por este Cabelo e sobretudo pelo Vitto, o meu namorado dos lagares de azeite em Abrantes. Boas quecas que demos, encostados à plataforma do Azeite Gallo.

David Duarte disse...

Henrique, em resposta à tua pergunta :

"Este texto foi motivado precisamente pelas reacção ao caso Luisão (e a outros acontecimentos), as duas posições de que falo sendo efectivamente dois extremos que cada vez mais dominam as relações entre os adeptos. Não penso que sejam as unicas, mas o grande problema numa situação de tensão que é cada vez mais intensa é que precisamente as posições radicalizam-se. Foram essas posições radicais que quis compreender."

Que parte desta ideia não consegues perceber?

Devante, o problema nos adeptos està no circulo vicioso em que os adeptos se encontram e que faz com que tudo seja radicalizado. Ja o problema institucional, existe esse problema grave de não haverem alternativas. Ok, Vieira foi bastante inteligente ao eliminar aquelas que haviam, mas se de facto o clube encontra-se mal alguém deveria mostrar-se. Parece-me contudo que essa vontade não existe. E por essa razão estou pessimista. Não é tanto por considerar o Vieira um mau presidente. Isso pode acontecer a qualquer clube. Um clube està doente é quando não existem outras linhas possivéis.

Ricardo, nada mais do que um sincero obrigado!

Anonymous Bosh disse...

desde quando os maniqueistas fudamentalistas são defensores da liberdade ou da democracia?

Henrique disse...

David Duarte, se não queres responder ao que te perguntei, não respondas. Eu gostaria de saber onde enquadras os adeptos que não podem escolher a direcção do seu clube. Assim já percebes o alcance da pergunta?

Alberto disse...

Alternativas conhecidas que poderão aparecer? Um bocado contraditório.

Quanto ao cinzento ou não, é fácil perceber.
Perguntas, por exemplo, se preferes LFV ou Rangel e 83% respondem-te LFV, mas se perguntasses, sei lá, assim à sorte, Rui Costa vs LFV as percentagens seriam diferentes. Poderíamos dizer, cientificamente, que os cinzentos seriam a percentagem do diferencial das votações. Falando normalmente, cinzentos são as pessoas que reconhecendo erros e méritos na actual direcção, não vêm alternativa credível que lhes possa levar a repensar em quem votar. Dá pa entender?!

Mas o que interessa, neste momento, na blogoesfera benfiquista é forçar as pessoas a tomar um partido. Ou és dos nossos ou és contra nós! As brigadas do benfiquinha, os seguidistas, os antis, essas coisas todas lindas e bonitas que se vêm por aí. É falar do passado de valores do clube, mas chamar burros aqueles que não concordam connosco...esse tipo de coisas.

A questão aqui é simplesmente de alternativa, o resto é conversa de blog para encher parágrafos vazios.

David Duarte disse...

Henrique, esses adeptos vivem numa realidade completamente diferente da nossa latina e a classificação que eu fiz teve em conta a atitude que vemos nos blogs benfiquistas hoje em dia. Respondo-te pois que não se integram nesta classificação (feita, repito, tendo em conta o que existe hoje na blogosfera benfiquista). E duvido muito que a realidade britanica seja um dia a realidade portuguesa. O clube no Benfica são os socios e não apenas no Benfica mas em Portugal ou ainda Espanha.


E jà agora, não disfarcei nada, até acho que fui bastante explicito ao dizer que a maioria encontra-se numa relação exclusivamente emocional com o clube e que :

"Einstein disse uma vez que apenas existem duas coisas infinitas : a estupidez humana e o Espaço e que sobre este ele não tinha a certeza. Ora estou completamente de acordo. Mas estabeleço uma diferença no interior da estupidez humana: existem aqueles que não têm consciência dela e existem outros que, tendo consciência dela, tentam ultrapassà-la. O adepto que tem uma relação exclusivamente emocional com o clube encontra-se na primeira categoria, o adepto que tenta conciliar emoção e razão na segunda."

DeVante disse...

Concordo contigo.
Mas repara, temos alguém, benfiquista, com capacidade para dirigir o COP, por sinal interessado nos problemas do clube e não temos gentes, hoje, para enfrentar o Vieira?
Algo vai muito mal.

DeVante disse...

Na mouche!
Aliás, os egípcios que o digam. Correram com o péssimo que estava lá que logo se via. E é o que se vê.

71460_5/8 disse...

o Alberto já disse quase tudo.

o facto do autor sugerir que só os críticos (e anti direcção) é que utilizam a razão diz muito sobre o texto.

será que o autor ainda não entendeu que podemos considerar a crítica construtiva ou destrutiva e que o grande problema é do abuso da última.

David Duarte disse...

Pois, isso é muito facil dizer da boca para fora que existe uma diferença entre critica destrutiva e critica construtiva. Aqui questão é que, quem normalmente apresenta esse argumento, nunca reconhece uma critica como sendo construtiva...

Señor B disse...

O que é que o Luisão disse?

DeVante disse...

Disse que Maomé foi um proxeneta pedófilo.

LM disse...

Defender o Benfica significa, muitas vezes, criticar quem o dirige.

Mas há malta que gosta de confundir as coisas simples.

PS: não é porque agora não jogamos uma beata que defendo a substituição da direcção, principalmente, e obviamente da equipa técnica. As faltas de respeito para com todos os Benfiquistas é evidente e vergonhosa.

PS2: O Luizão está enganado, alguém lhe explique que o Benfica tem dono, são os sócios e adeptos!

Gustavo Val-Flores disse...

Luisao foi defender um colega e um amigo de comentários (e ameaças) de gente estúpida que se diz benfiquista, mas não passam de retardados...

Qualquer um de nós, que não tenha o cérebro e o coração ligado ao intestino grosso, faria o mesmo e se calhar até mais...

Sentinela um Estremecer disse...

Eu não me revejo minimamente nesta politica de terra queimada que alguns sócios e adeptos andam para aí a fazer ao nosso prórpio clube. Mas esses são mais donos do clube do que eu?

"O Luizão está enganado, alguém lhe explique que o Benfica tem dono, são os sócios e adeptos!"

E se o Luisão for sócio? hahaha

Bujix disse...

Texto TOP!!
Parabéns ao David. Pena que a maior parte (de quem comentou pelo menos) não tenha percebido metade do post...
Um abraço,

Red Sniper disse...

..."Pena que a maior parte (de quem comentou pelo menos) não tenha percebido metade do post..." ...

Bugix, como deves fazer parte do Conselho dos Sábios, troca por miúdos aos que por "manifesta incapacidade inteletual" quiçá por preguiça não quiserem comentar, para ver se um post tão apelativo consegue ultrapassar os 30 comments ....

overnight76 disse...

Não concordo, acho que este gajo anda a filosofar demais..lol.. como dizia o outro "mete mais tabaco!"

Eu acho que esta direcção tem feito um bom trabalho ao longo dos anos, a prova disso é que terminamos uma época em que iamos quanse ganhando tudo. Era eu pequenino, já o meu avô me dizia, quando eu dizia que o Benfica ia ganhar, "a bola é redonda, tudo pode acontecer!" Faltou-nos sorte não ganhamos nada.

Quem joga a bola é o presidente? Não! O presidente compra maus jogadores? Sim compra, mas compra também muitos bons jogadores.

Epa. estejam calados e apoiem mais em vez de criticar. Conhecem alguém que faria melhor? Eu ainda não conheci. O ultimo grande presidente foi um senhor chamado Fernando Martins e sabem porquê? Foi um presidente que fez o Benfica gerar muito dinheiro.