Entrevista - Tom Kundert, dono do site PortuGOAL


 Bom, assumi a minha vontade parola de gostar de ouvir o que os estrangeiros têm a dizer sobre nós e, neste caso, sobre o nosso futebol e resolvi imitar o Vitto e escrevi umas quantas perguntas para fazer a mais um convidado do Cabelo. Tom Kundert é um jornalista desportivo inglês especializado no futebol português e que vive entre nós desde 1994. Gere um site chamado PortuGOAL e que, como o nome indica, é um site escrito em inglês e exclusivamente dedicado ao futebol português. Sempre me fez alguma confusão não ver e ler mais opinião de estrangeiros que percebam do nosso futebol nas tv's, jornais, etc. E não falo apenas em jornalistas mas também em actuais e ex-jogadores ou treinadores (O Van Der Gaag não conta). São sempre as mesmas caras, as mesmas opiniões, o mesmo discurso... Portanto, aqui vai algo de novo:



Cabelo do Aimar: Primeiro que tudo, a tua foto de fundo do teu Twitter és tu a entrevistar o Eusébio - apenas porque ainda não entrevistaste o Cristiano Ronaldo, não é?

Tom Kundert: Uma hora com Ronaldo e uma hora com Mourinho estão na minha lista de tarefas. Mas é muito caro corromper Jorge Mendes…

CdA: Segundo, para manter feliz o dono lampião do blog, qual a tua opinião sobre um jogador do Benfica, um tal de Pablo Aimar? Isto é, se ainda te lembrares dele.

TK: O seu magnífico cabelo apenas é superado pelo seu talento bastante especial. Lembro-me particularmente do golo que ele marcou há uns anos contra o Paços de Ferreira, na Luz. O seu balanceamento perfeito e a forma como ele consegue passar pelos seus adversários apenas movimentando inteligentemente o seu corpo de um lado para o outro, e várias vezes sem fazer nada com a bola, é maravilhoso de ver. É uma pena que os seus problemas físicos o tenham impedido de jogar mais vezes.

 CdA: Tenho de perguntar: porquê Lisboa, porquê Portugal e, por amor de Deus, porquê o futebol da Liga Portuguesa?? O que tem de especial para um inglês um Beira-Mar – Nacional da Madeira??

TK: Fico sempre surpreendido quando os portugueses fazem-me essa pergunta e ficam genuinamente surpreendidos por eu gostar de futebol português. Julgo que é uma característica portuguesa ignorar o que têm de positivo e ao invés, concentrarem-se nos aspectos negativos.

O actual segundo melhor jogador do mundo e um dos melhores de sempre, o melhor treinador do mundo, clubes que constantemente conseguem alcançar as últimas eliminatórias das competições europeias e mesmo ganhando algumas (apesar de ter apenas uma fracção do poder económico dos grandes “tubarões” europeus), grandes rivalidades entre clubes, uma seleção nacional que se qualificou para todas as competições desta última década e meia e que conseguiu alcançar duas semi-finais e uma final, imensos talentos mundiais a iniciarem-se na Liga… O que há para não gostar?

CdA: E o teu site, PortuGOAL, de que trata? Fala-nos sobre como nasceu, como funciona, qual o teu público alvo, os teus colaboradores, esse tipo de coisas.

TK: Há cerca de dez anos, reparei quão ignorante era a imprensa anglófona internacional, especialmente do meu país, Inglaterra, acerca do futebol português. Por isso decidi criar um site especificamente sobre futebol português direcionado para pessoas que não falassem Português. Tive sorte, pois tal coincidiu com o sucesso que o futebol português teve entretanto devido ao Porto de Mourinho, à carreira de Ronaldo e aos bons resultados da seleção nacional. A resposta foi fantástica, mesmo quando o site era gerido apenas por mim e quando era uma coisa feia criada no Microsoft Front Office e com as minhas “zero design skills”.

O site atraiu um número considerável de visitantes, especialmente portugueses de 2ª  e 3ª geração que vivem nos Estados Unidos e no Canadá. Também tive bastantes visitas de leitores que partilham o mesmo gosto que eu, oferecendo-se para escrever para o site e por isso decidi investir um pouco de dinheiro para o tornar mais profissional e para que fosse mais fácil para outros poderem “uploadar” os seus artigos. Tem cerca de 100,000 visitas por mês e, além do meu filho, é a coisa que mais orgulho me deu fazer.

CdA: Todos os anos, a Liga presenteia-nos com um “caso”. Já tivemos o “caso Mateus” (descida do Gil Vicente), o “caso do túnel da Luz”, O infame “caso Apito Dourado”, agora temos o Boavista de novo na 1ª Liga…  Qual deles é o teu “caso” favorito?

TK: Para ser honesto, não tenho interesse nas politiquices/controvérsias que ocorrem fora do relvado. Raramente escrevo sobre elas e prefiro concentrar-me no que acontece dentro do relvado.

CdA: Ao contrário da Premier League, onde o dinheiro das transmissões televisivas é, mais ou menos, distribuído por igual por todos os clubes, em Portugal, Benfica, Porto e Sporting recebem a parte de "leão" do dinheiro da tv. Que futuro antevês para o futebol português? Consegues imaginar uma Liga Ibérica, por exemplo?

TK: O Porto nunca deixaria tal coisa acontecer, pois assim não poderiam ganhar quase todos os anos como o fazem agora!

 CdA: Somos mesmo um país de “mergulhadores”?

TK: Sim. Essa é a coisa mais frustrante do futebol português. Os árbitros são criticados todas a semanas devido aos erros que cometem mas os “mergulhos” dos jogadores – que faz com que, o já difícil trabalho dos árbitros se torne quase impossível – nunca são criticados. Dito isto, penso que actualmente já há menos “mergulhos”, pois os árbitros têm vindo a mostrar cartões amarelos e vermelhos quando o fazem. Os portugueses dizem que sou maluco quando digo isto, mas eu penso verdadeiramente que o nível da arbitragem em Portugal é bom.

CdA: Li no “about us” do teu site que o teu clube é o Sporting e acho completamente natural que sejas adepto do melhor clube português – mas estou certo? O que gostaria de perguntar é, porquê o Sporting e qual o teu outro clube favorito em Inglaterra?

TK: Que tipo de pergunta é essa?! Sou um tipo de bom gosto. É claro que sou adepto do Sporting!

Ok, para dizer a verdadeira razão, quando cheguei a Portugal, o Sporting tinha uma grande equipa sob a liderança de Carlos Queiroz, com o Figo, Balakov, Peixe (quando ele era bom), etc, e fui convidado para ir  ao velho estádio de Alvalade para assistir ao meu primeiro jogo em Portugal. E foi assim. Em Inglaterra, torço pelo West Bromwich Albion. Por isso, podem ver que tendo a escolher equipas que não ganham muito.


CdA: Já que falamos no Sporting. Li que já vives em Lisboa desde 1994, portanto, já viste de tudo no Sporting: Sousa Cintra, Bobby Robson, os 6-3, o título de 2000, João Pinto, Jardel, Cristiano Ronaldo, Bojinov, Godinho Lopes, 10º lugar na Liga, Bruno de Carvalho… Tens explicação para tudo “isto”?

TK: A quantidade de talento que é produzido na Academia do Sporting é fenomenal. O Porto ganhou 18 títulos nos últimos 25 anos, mas se o Pinto da Costa tivesse sido o presidente do Sporting durante esse tempo, provavelmente teria ganho mais uns quantos.

CdA: Já viste jogos fora de Lisboa? Qual o teu campo favorito exceptuando os estádios do 3 “grandes”?

TK: Raramente vejo jogos fora de Lisboa. Já vi jogos na Tapadinha e no Restelo e ambos são lindos estádios magníficos. Pela atmosfera, o melhor estádio que visitei foi o Dom Afonso Henriques.

CdA: Jamor ou Wembley?

TK: Jamor, pois já lá vi o Sporting a ganhar troféus e nunca vi o West Brom a chegar a Wembley.

CdA: Mudando para a actual Liga. Benfica ou Porto? Quem vai ser campeão? 

TK: Creio que será o Benfica a ganhar este ano. O Porto está a pagar o esforço por ter um plantel curto. Apesar de terem ganho os seus últimos jogos, a linguagem corporal dos seus jogadores já não é a mesma desde que perderam desnecessariamente para o Málaga. Essa derrota afectou-os realmente. Sou um grande fã do Jorge Jesus e do seu estilo de futebol. E ainda por cima ele tem um corte de cabelo que rivaliza com o de Aimar.

CdA: Consegues ver tanto o Porto como o Benfica meterem-se na luta com os grandes europeus, como Barça, Real Madrid ou Bayern, na próxima Liga dos Campeões?

TK: Uma das frustrações em ser fã do futebol português é que os seus melhores jogadores nunca aguentam por cá durante muito tempo. Julgo que ambos poderiam fazer uma boa campanha se mantiverem os seus principais jogadores, mas todos nós sabemos que o Moutinho e o Garay irão ser vendidos e que o James e o Matic provavelmente também o serão, o que arruinará as hipóteses que tinham para competir com as equipas de topo.


CdA: Alex Ferguson, numa célebre frase antes da eliminatória com o Porto de Mourinho, disse que os “campeonatos” em Portugal são comprados no “supermercado”. Concordas?

TK: Creio que ele quis dizer que eles apenas têm o trabalho de comprar os melhores jogadores disponíveis (dentro do seu orçamento) e que é por isso que eles ganham. Talvez possamos concordar com ele, apenas dizer que o “supermercado” no últimos dez anos está localizado na América do Sul.

CdA: E Jorge Jesus, já fez tudo o que tinha a fazer no Benfica ou ainda achas que irá continuar no clube da Luz? Fala-se também numa possível ida de Jesus para a Premier League na próxima época…

TK: Como disse antes, acho que é um treinador fantástico. Adoro o seu estilo de ataque “bola p’rá frente”, mas também creio que a forma como ele organiza as suas equipas defensivamente não tem sido devidamente reconhecida. E ele tem uma habilidade em transformar jogadores banais em bons jogadores e bons jogadores em jogadores fantásticos. Fico surpreendido por ele ainda não ter renovado o seu contrato, por isso talvez ele já tenha alguma oferta à sua espera… Vai ser engraçado notar se ele manterá, como dizer, o seu estilo “peculiar” de se relacionar com outros jornalistas/treinadores num país diferente.

CdA: Ainda te surpreendes quando Cardozo leva 1 jogo de castigo após ter puxado a camisola de Pedro Proença ou quando o Porto infringe as regras da Taça da Liga e não é castigado?

TK: Como disse antes, não dou importância a essas discussões.

CdA: “Apito Dourado”, diz-te alguma coisa?

TK: Obviamente que o Porto foi corrupto e merecia uma punição maior. Mas não estou convencido de que: 1) outros clubes/presidentes também não tenham feito coisas semelhantes 2) Que o Porto não tivesse continuado a ganhar apesar de tudo.

 CdA: O melhor jogador que já viste jogar em Portugal?

TK: Essa é difícil. Tantos por onde escolher.

Se o Sporting jogasse todos os jogos contra o Benfica teria de ser o Liedson! Adorava a maneira como ele sempre surgia no seu melhor contra eles. Mas isso é, obviamente, a minha “clubite” a falar.

Acho que o melhor jogador que vi jogar foi o Hulk. Lembro-me de um dos seus primeiros jogos em Portugal quando o Porto foi jogar a Alvalade para a Taça de Portugal. Já estava no final do jogo, prolongamento creio, e o Sporting teve um canto a seu favor. A bola foi ter ao Hulk, que sprintou 70 metros antes de disparar um míssil à baliza do Patrício. Se o futebol fosse um contra um em vez de um desporto colectivo, o Hulk seria o melhor jogador do mundo.

Também me lembro de estar a ver o Leixões-Benfica em 2009/2010 quando o Di Maria estava simplesmente imparável. Fez um hat-trick e atormentava a defesa de cada vez que tinha a bola. Também me lembro de o ver algo semelhante ao Everton, ao vivo na Luz. É o segundo atrás do Hulk.

Também me recordo do jogo do Ronaldo contra o Man United na inauguração do novo Alvalade. Uma exibição brilhante para alguém com 18 anos de idade. Mas claro que o Ronaldo não era o jogador que é actualmente.

CdA: O teu jornalista desportivo português favorito, tens algum? E programas desportivos, como o “Dia Seguinte”, “Prolongamento”, vês algum? E “percebes” os programas? (não se percebes o que eles dizem mas se percebes porque existem.)

TK: Jornalista favorito é fácil – Luís Freitas Lobo. Poderia ouvi-lo todo o dia.

No que toca aos programas desportivos, desisti de os ver há uns 15 anos. Sinceramente, não percebo a “piada” em ver homens gordos e engravatados a falar sobre decisões de árbitros durante uma hora. Não que tenha nada contra homens gordos engravatados, já agora.

CdA: Bifana e imperial ou… o que quer que seja que os ingleses comem nas “roulottes” à volta dos estádios ingleses?

TK: Acertaste em cheio! Tal como em muitas outras coisas, o futebol Português bate o inglês aos pontos no que toca aos petiscos antes do jogo.

CdA: Obrigado pela entrevista e pedia-te para deixares umas palavras aos leitores do Cabelo!

TK: Obrigado pelas perguntas interessantes.

Como disse anteriormente, estou muito orgulhoso do meu site PortuGOAL e do seu nome mas não consigo competir com Cabelo do Aimar – um nome fantástico. Tenho de dizer que não conhecia o site mas já dei uma vista de olhos e já está na minha pasta de favoritos. Estou ansioso em saber como ele irá desenvolver-se daqui em diante pois o Sporting vai dominar a próxima década do futebol Português. Talvez tenham de alterar o seu nome para a Careca do Jesualdo.

Abraço,
Tom.

5 comentários:

Vitto Vendetta disse...

FANTÁSTICO! Tive de tudo, ri-me às gargalhadas, resmunguei, aprendi, mas sobretudo, passei um grande momento a ler isto.

(Vou já pôr o PortuGOAL na blogroll)

friikniik disse...

Grande entrevista, está bem conseguida, tem de tudo. mostra um adepto do futebol Português mas com cultura Inglesa: O que importa é o futebol.

Fehér 29 disse...

lol... di maria atras de hulk... e zenit à frente do real também...

DeVante disse...

Pois. Valeu pelo humor...para não destoar.
Ah, já agora que apareceste, o Djaniny sempre jogou contra o Maior!

Pedro disse...

Boa entrevista mas um gajo que diz que o melhor jogador que viu em Portugal foi o Hulk está apresentado no que diz respeito ao que percebe do assunto.
:)