Benfica 2013-2014 : balanço

O Presidente


No que toca a Luis Filipe Vieira, a época 2013-2014 fica marcada pela decisão em manter Jorge Jesus como treinador do Benfica. Não sei até que ponto é verdade que Vieira foi o unico, na estrutura do Benfica, a querer a continuação de Jesus, não sei até que ponto esta ideia tornada consensual não é apenas mais um produto marketing na tão bem oleada propaganda vieirista. Não sei eu e a verdade é que pouca gente sabe. Mas o que é verdade é que no Verão 2013 a grande maioria dos benfiquistas quis Jesus fora do Benfica. Teria sido muito facil a Vieira de, numa medida bastante popular e populista, despedir Jesus. Não o fez e assim tomou uma das decisões mais acertadas de sempre enquanto Presidente do Benfica. Eu não concordei com Vieira quando ele disse, no ano passado, que não podia ser responsabilizado pelas derrotas do Benfica pois não dà chutos na bola. Para mim, o Presidente de qualquer instituição que seja é sempre o responsavel ultimo em tudo aquilo que a instituição obtém. Vieira foi o responsavel maximo por todos os fracassos do Benfica nos ultimos anos. Mas é o responsavel maximo pelo sucesso deste ano. Para além dos resultados da equipa principal de futebol, deve ser elogiada igualmente a formação do Benfica, aposta clara desta Direção. Começam a aparecer os sinais de uma formação de qualidade com os resultados das equipas jovens nas competições nacionais e internacionais, mas igualmente com as convocatorias para as diferentes selecções e com a cada vez maior quantidade de jogadores a pretenderem legitimamente integrar o plantel principal.

Para além futebol, a BenficaTV, mais uma aposta desta Direção, fortaleceu a sua posição no mercado nacional. Vieira, ao contràrio das outras épocas, falou pouco, o que apenas é positivo. Hà dois anos tomou a palavra quando o Benfica levava 4 pontos de avanço e logo a seguir tivemos a Académica e o Guimarães. No ano passado falou antes do Estoril e todos sabemos o que aconteceu. Ele tem o "dom" de falar na altura exacta em que o sucesso està ali à mão. O problema é que ele agoira todos os desastres. Por isso, Vieira, boca caladinha, sempre!

Negativamente, tenho a apontar o pouco ou nada que foi feito para diminuir um passivo que é monstruoso. 500M€ de passivo num clube que tem como mercado principal o mercado português é catastrofico. Continuamos na ilusão de que o que aconteceu ao Rangers, ao AEK e o que teve quase a acontecer ao Sporting não acontecerà ao Benfica. Apresenta-se logo o argumento que o Benfica tem uma credibilidade que nenhum outro destes clubes pode sequer sonhar vir a ter. Meus caros, se essa credibilidade significa ter capacidade de endividamento, se essa capacidade significa perdões de divida, não sei como, decentemente, podem ver isto como algo positivo. Isto significa entrar na espiral (na qual jà estamos) da bolha que incha, incha até que um dia rebenta. Ter capacidade de endividamento é algo negativo e essa é uma das lições que todos os portugueses, enquanto habitantes num pais em crise, deveriam ter consciência. Não é porque um banco vos diz que vocês podem endividar-se porque no futuro poderão pagar que essa divida deve ser contraida. Por outro lado é apresentado o argumento do activo que também aumentou. Argumento que financeiramente é valido mas que na realidade concreta (finança e realidade são duas coisas distintas) não serve de nada. Até porque, se este argumento for transferido para a realidade, o que quem apresenta esse argumento supõe é que : "não tem problema! Se tivermos que reduzir o passivo vende-se tudo e ficamos bem". Ou seja, vende-se jogadores, Estadio, Seixal, vende-se tudo e ficamos com nada. O mundo da finança é o mundo da ilusão. O que é concreto é a economia e economicamente o Benfica não tem meios.

Igualmente negativa a teimosia desta Direção em não compreender o que é o Benfica e continuamente dar tempo de antena a gente que, um dia, feriu o clube : é incrivel a quantidade de gente que entra no Estadio da Luz e que é publicitada pela BenficaTV! Que entrem no Estadio da Luz, não é problema para mim. O que é um problema é que tais pessoas sejam elevadas ao estatuto de grandes benfiquistas. Um exemplo chega : Pacheco! A lista de convidados para a final de Turim foi igualmente uma vergonha.

O treinador


Dificil ter uma opinião estavel sobre Jorge Jesus. Tenho a profunda convicção que quem a tem, seja por ou contra, està no campo da fé, do "acardita" e poucos argumentos tem para apresentar que sejam objectivos. Ter um treinador como o Jesus é estar finalmente no mesmo estado emocional instavel que caracteriza a propria pessoa Jesus. Acabei a época passada a defender a continuidade de Jesus apesar dos fracassos porque pensei, depois do que aconteceu em Amsterdão, que tinha nascido ali qualquer coisa de importante que haveria de nos carregar este ano para as vitorias. Poderia estar agora aqui a dizer, alimentando o meu ego, que tinha razão. Mas a verdade é que bastaram algumas semanas, e a demora sobre a continuidade ou não de Jesus, e alguns meses, e as pobres exibições do inicio da época, para pensar que Jesus afinal não era o treinador de que precisavamos. Esta época é finalmente o resumo da minha visão sobre Jesus. Por vezes os pontos positivos sobrepõem-se aos negativos. Outras vezes é o contràrio. Mas nunca tive uma posição estavel sobre ele.

No que toca a esta época, claramente os seus pontos positivos falam mais alto. No inicio da época, as fracas exibições fizeram-me pensar que os jogadores não estavam com o treinador. Não sei se isto é verdade ou não, mas se é verdade então todo o mérito para Jesus por ter conseguido manter unido um grupo que claramente tinha tudo para explodir. Não apenas o manteve unido, mas igualmente voltou a valorizà-lo desportivamente com confirmações, revelações e reabilitações. E tudo isto num ano em que Jesus se viu obrigado a mudar de sistema metendo de lado a sua teimosia. Não nos esqueçamos que o Benfica deste ano sofreu perdas bastante importantes ao nivel de jogadores nucleares, perdas com as quais Jesus soube muito bem lidar. Se a perda de Salvio não implicou a mudança de sistema, jà a de Cardozo mexeu com toda a dinâmica atacante e a de Matic com a "ideologia" do nosso meio-campo. Se em termos gerais Jesus soube muito bem mudar o sistema do Benfica melhorando não a fantasia do nosso jogo (essa perdeu-se) mas os resultados (e ganhar é do que o Benfica precisa), em termos particulares Jesus também esteve bem. Seja na Liga Europa como no Campeonato, todas as lesões e castigos (muitas vezes em simultâneo) foram bem compensadas e isto significa um grande trabalho mas igualmente um grande plantel.

Negativamente, esta época de Jesus tem uma grande nodoa. Mais uma vez uma participação vergonhosa na Liga dos Campeões. Ser cabeça de série, ter um grupo com Olympiakos e Anderlecht e não conseguir ir além da fase de grupos é um fracasso tremendo. Por isso relativizo sempre as nossas campanhas na Liga Europa. Como é obvio, trata-se de uma competição europeia e enquanto tal tem um grande valor o que foi feito nos dois ultimos anos. Mas a verdade é esta : é que nem deveriamos ter là posto os pés! Jà que para là caimos, o melhor é ganhà-la e estivemos em dois anos seguidos perto de fazê-lo. No ano passado quando fomos claramente melhores do que o Chelsea. Este ano quando eramos claramente uma melhor equipa mas que não conseguimos demonstrà-lo. Mas a verdade é que o lugar do Benfica é na principal competição de clubes e não numa Liga Europa que perdeu muito da sua aura quando deixou de ser Taça UEFA. Para a proxima época tão importante como ganhar o campeonato é passar a fase de grupos da Champions. A afirmação internacional do Benfica passa pela Liga dos Campeões e não por boas campanhas (por muito boas que sejam) na Liga Europa.

A acrescentar, os excessos de Jesus. Jesus não compreende, e a estrutura do Benfica não o ajuda a compreender, que um grande clube como o Benfica não são apenas vitorias : é igualmente uma dignidade que em certos momentos Jesus não teve. A cena de Guimarães pode ser muito "romântica" para alguns mas bater num policia é algo que apenas num pais onde a justiça não é cega passa impune. Se eu ou vocês fizessemos aquilo seriamos, justamente!, punidos. A adicionar a essa, temos igualmente a atitude mesquinha de Londres que Tim Sherwood muito bem definiu ao dizer que Jesus não tem a grandeza do clube que representa. O que sai da boca de Tim Sherwood deve ser relativizado tendo em conta o proprio historial que ele tem. Mas não podia estar mais de acordo com ele. A mesquinhez e pequenez de espirito que Jorge Jesus manifestou não dignificam em nada o grande clube que representa.

Jogadores


Não vou fazer uma analise profunda, apenas dar uma ou duas palavrinhas sobre aqueles que mais influência tiveram. Vocês completam nos comentàrios se acharem que estou a ser injusto :

Oblak : Não se trata de uma revelação visto que jà conheciamos o seu valor. Trata-se de uma confirmação, a confirmação de um grande guarda-redes que todos esperamos que seja para ficar muitos anos (mas duvido).

Luisão/Garay : o inicio de época foi bastante dificil, com muitos erros (não nos esqueçamos que, pré-época incluida, o Benfica esteve mais de 20 jogos seguidos sempre a sofrer golos!). Contudo, de dupla instavel no inicio da época, Luisão e Garay transformaram-se numa das melhores duplas de centrais na Europa com o decorrer dos meses. Menção especial a Luisão com, talvez, a sua melhor época de sempre.

Siqueira/Maxi : depois da mà época 2012-2013, Maxi voltou a ser aquele lateral de que todos gostamos. Jà Siqueira, apesar das duvidas iniciais, afirmou-se ao ponto de muitos pensarem que seria bom adquiri-lo em definitivo. De negativo, as suas expulsões que resultaram da sua "burrice".

Matic/Fejsa/Enzo/Amorim : é sempre com muita pena que vemos sair um jogador como Matic e os piores cenàrios são sempre apresentados quando tal acontece. Mas a verdade é que, com a mudança de sistema, Jesus conseguiu dar segurança a um meio-campo que pensàvamos que iria ficar orfão. Fejsa e Amorim foram essenciais nesse papel e Enzo... bem, eu apenas tenho a dizer que é o coração deste Benfica tal como Coluna foi o coração do Benfica dos anos 60. O nosso capitão sem ainda sê-lo.

Gaitan/Markovic/Salvio/Sulemanji : Gaitan encontrou, finalmente!!, a regularidade nas suas exibições. Jà não temos que esperar pelos jogos da Liga dos Campeões para ver toda a sua classe. Markovic evoluiu bastante com o apoio no processo defensivo, Salvio teve uma grave lesão que infelizmente impediu-o de dar um contributo importante à equipa e quando voltou não encontrou verdadeiramente o seu ritmo. Sulemanji, entre os sérvios, foi aquele que pareceu ter mais dificuldades em afirmar-se numa posição com forte concorrência.

Rodrigo/Lima/Cardozo : o Rodrigo voltou ao que era antes da grave lesão sofrida em São Petersburgo, o Lima marcou menos mas foi essencial na pressão alta que o Benfica sempre realizou. Jà o Cardozo, é um caso especial. Passou pelo ano mais dificil desde que se encontra no Benfica devido a um problema nas costas que, quem o tem, pode compreender perfeitamente a dificuldade em ter a confiança necessària para dar o que se tem para dar. Apesar disso, a Taça de Portugal "é" dele, sabe o que é o Benfica na sua relação amor/odio (afinal a paixão é isso) e não deixa de me entristecer que nunca, NUNCA, tenha ouvido o apoio dos adeptos no Estadio a Cardozo quando este entrava, em especial dos NoName. Nos momentos em que Cardozo mais precisava de apoio nunca os ouvi cantar a sua musica e o quanto ele precisava dela!!

P. Lopes/Artur/A.Almeida/Jardel/A. Gomes/Djuricic/Cavaleiro : Paulo Lopes, pelo benfiquismo, merece sempre ser referenciado. Artur viu-se ultrapassado por um puto melhor que ele. A. Almeida como Jardel mostrou sempre trabalho e entrega. A. Gomes foi aquele jogo com o porto na Luz mas também foi o jogo com a Juventus... Djuricic não entra no esquema do Jesus e Cavaleiro é mais um miudo com qualidade mas que ainda não se sabe se serà um Nani (o bom Nani), um Varela ou um Djalo.

Adeptos


Continuo desiludido com os adeptos do Benfica. Para mim é incompreensivel que a média de assistência na Luz seja pouco mais de 40.000 pessoas. Entram aqui vàrios factores. As dificuldades economicas, os preços dos bilhetes, etc. O facto de a BenficaTV trasmitir os jogos deu a liberdade ao Benfica de decidir a hora dos encontros e a decisão de privilegiar os jogos à tarde foi claramente um ponto positivo. Contudo, as assistências são algo a rever. Um Estadio da Luz cheio é quase a certeza de, antes mesmo de o jogo começar, jà estarmos a ganhar por 1-0 e quantos benfiquistas existem, espalhados por Portugal e pelo estrangeiro, que não têm possibilidade de ir à Catedral e ficam desiludidos quando abrem o streaming e vêem o Estadio vazio a metade! Parte o coração...

Ponto positivo : penso que todos os benfiquistas viveram esta época com os pés no chão. Raros foram aqueles a repetirem os erros do passado e a festejarem quando nada havia para festejar. Existe quem queira passar a ideia que tal aconteceu depois da meia-final de Turim, mas, meus caros!!, festejar uma ida a uma final europeia é do mais normal que existe. Todos o fizeram e todos o fazem!

... aquela invasão do terreno depois do golo do André Gomes na meia-final da Taça foi um momento unico. O abraço entre o Enzo e o adepto (não encontrei a foto mesmo se se trata do maluco ali em cima) mostrou bem a unidade que houve a partir de certa altura (a partir de Janeiro) entre os adeptos e a equipa.

Jogos a reter

Foram muitos os jogos "youtube" nesta época. Eu sublinho (sem ordem de preferência) : Benfica 2-1 Gil Vicente, Benfica 2-0 porto, Benfica 2-0 Sporting, Benfica 3-1 porto, porto 0-0 Benfica, Benfica 4-3 Sporting, Tottenham 1-3 Benfica, Benfica 2-1 Juventus, Juventus 0-0 Benfica. Estou a esquecer-me de algum?

Este resumo da época não poderia acabar sem 3 gritos :

TU ES O NOSSO REI, EUSEBIO!!!
TU ES O NOSSO CAPITÃO, COLUNA!!!
VIVA, VIVA O BENFICA!!!!

6 comentários:

Luis Marques disse...

Vamos ver se este ano a SAD Benfiquista mete na cabeça que o passivo tem que descer mais cedo ou mais tarde e começa a trabalhar nisso, sem prejudicar a qualidade da equipa claro :)

David Duarte disse...

Luis, isso é quase impossivel. Reduzir o passivo significa fazer esforços ao nivel do plantel principal. E se é verdade que o Benfica tem vàrios excedentàrios, uma verdadeira aposta na redução do passivo exige vendas de jogadores importantes que necessariamente vão reduzir a qualidade do plantel.

Contudo, se existe ano em que podemos fazer isso sem comprometer o sucesso desportivo, é a proxima época. O porto tem novo treinador e o Sprting teve agora um sério golpe com a saida do Leonardo Jardim que, não fazendo começar do zero de novo, não deixa de ser um travão à evolução que vinham fazendo.

A adicionar a isso, o Benfica tem neste momento jovens com os quais pode efectivamente contar visto terem qualidade. Por outras palavras, reduzir o passivo exige uma aposta real na formação. Não significa isto a ilusão de pensar que a formação chega. O Benfica tem que se reforçar no mercado. Mas esses reforços têm de ser escolhidos a dedo para não termos contratações que a unica influência que têm no Benfica é na folha salarial sem sequer vestirem a nossa camisola.

Depois de um ano em que claramente oa redução do passivo foi uma questão secundària porque era necessàrio voltarmos a ser campeões e fazer uma boa campanha na Liga dos Campeões (decisão que se compreende mesmo se é sujeita a criticas), a época 14/15 deve ser a época em que a redução do passivo passa a ser a prioridade pois é possivel concilià-la com o sucesso desportivo.

Marco João disse...

Falta o "TUDO A SALTAR" nesses gritos! x)
Concordei com tudo...essa parte do passivo é que é uma pena e terá que ser revisto. Se for para vendermos jogadores importantes que seja por muitos milhões...porque este plantel não se vende a preço de saldo.

Classe Baixa 1904 disse...

Anderlecht - Benfica, aquela reviravolta foi importante no ânimo da equipa e dos adeptos, na minha opinião. E o jogo em Guimarães, que começou a equilibrar as contas do campeonato e logo num campo difícil.

Luis Marques disse...

Grande David, dizes que é quase impossível no início da resposta mas depois a meio do texto vais me dando razão ;)
Claro que vender titulares e por a jogar suplentes/emprestados/putos é sempre passar de algo seguro para algo que pode correr bem ou mal.
Tendo em conta que o Rodrigo e o Gomes vão sair e que o Gomes não era um titular, precisamos de um jogador para substituir o Rodrigo. Vem-me logo à cabeça o Nélson Oliveira, jogador que não é perfeito, não é o melhor do mundo, mas que é possível trabalhar para ser um bom jogador. Também é possível desviar o Markovic da ala para o centro.
Fala-se muito da saída do Garay e aí também acho que não seja preciso contratar ninguém. O ano passado contratamos o Lisandro precisamente para o substituir, este ano depois de uma época a titular em Espanha tem tudo para continuar a sua evolução no Benfica.
Temos extremos em excesso. Se vendermos apenas um (Gaitán) podemos utilizar o Pizzi no seu lugar. Se precisarmos de dois extremos (vendendo o Gaitán e colocando o Markovic a jogar no meio) podemos utilizar o Pizzi e o Ola John (sim, não é o melhor jogador do mundo mas as entrevistas que deu depois de Janeiro pareceu que percebeu que tem que mudar a sua atitude para ficar no SLB).
Para além disso, acho que é altura de vendermos suplentes ou terminar contrato para reduzir salários.
Urreta, Sidnei, Jara, Djaló, Martins são para mim jogadores que deveriam abandonar o clube, mesmo que o valor recebido pelos mesmos fosse baixo.
Enfim, podíamos estar aqui o dia todo armado em treinadores de FM :)
Espero que o Benfica trate bem do seu plantel esta época porque já chega de ganhar um campeonato e ficar 3 ou 4 a xuxar no dedo, é altura de partir para os bis, tris e tetras!

Luis Marques disse...

Ah, esqueci-me do Djuricic. É um jogador que tem mercado e não se sabe ainda se vai contar para o Jesus ou não na próxima época. A sua saída por um valor entre os 6 e os 8 milhões era bem vista por mim