Futebol, Política e Religião

Hoje, através do blog do Geninho, vi que o Porto Canal está a entrevistar o Macaco. Não me ria assim desde os flash interviews do Coentrão, com tantos pontapés ao Português e adjectivos colocados fora de contexto. Mas isto faz-me pensar na nossa própria Benfica TV, e pensar que seria impossível ver um líder de uma claque  ou um anónimo Benfiquista (tirando os tertúlianos) a falar livremente no nosso canal.

Mas não é isso que me faz escrever. Eu penso no que o Geninho diz no seu texto, e fico a matutar como é possível alguém confessar que admira este estelionatário, que está farto de viver às custas dos outros e do seu próprio clube, enquanto confessa que se perpetuam crimes perante a sua responsabilidade e empresta os carros aos gangs que assaltam os próprios portistas (tenho 2 amigos tripeiros que foram celebrar a champions para a ribeira e acabaram sem nada nos bolsos e com pulsos e costelas partidas).

Isso leva-me a pensar nos jornalistas, especialmente os que são afectos ao clube corrupto, e à forma com que elogiam Pinto da Costa e as próprias claques tripeiras após consumarem violência. Rui Cerqueira, actual director do Porto Canal, era conhecido nas redacções por onde passou por ser um Portista ferrenho, e de comprar brigas com quem não fosse com aquele modelo de gestão pintista, sendo estranho um jornalista que faz um trabalho formidável no exercício das suas funções, mas que fica completamente cego ao ignorar os anos e anos de corrupção e violência, que a direcção do clube ao qual pertence efectua. Não consigo mesmo perceber. Talvez por causa disso é que ele é hoje responsável pela comunicação do clube portuense, mesmo que não saiba do que se faz nos bastidores (o que não me acredito muito), mas lá teve a recompensa desejada (é director de um canal... tá bem que até o Bruno Carvalho já foi, mas é sempre um canal). Pedro Sousa, também era conhecido por ser caustico nas discussões sobre o seu Sporting, e saltou directamente da Rádio Renascença para director de Comunicação do Sporting. Nós, também temos um bom defensor, que segundo testemunhas, muitas foram as vezes que quase chegou ao "vias de facto" com o Rui Cerqueira ao defender o Benfica, que é o Pateiro.

Ao analisar isto profundamente, pegando em 3 jornalistas de alto gabarito, percebo que o futebol, assim como política e religião, não era assunto tabu porque se podia partir para a violência. Era assunto tabu porque todos sabiam o que estava errado com o seu Clube/Partido/Religião, mas ninguém queria admitir isso, levando então à dita violência. Hoje, os tempos são outros, e devemos estar atentos ao que se passa nas nossas portas para podermos ter todos os argumentos disponíveis para combater os fundamentalistas do outro lado. Como seria se Gomes da Silva não tivesse que assobiar para o lado quando confrontado pelo Guilherme Aguiar sobre a subida do Alverca? Como seria se nós, nos blogs, não levássemos constantemente com os "pedidos" do Vieira (e não me venham com larachas), ou aos apoios secretos a prostitutas escritoras?

Limpe-se o Benfica, para depois limparmos os outros!

4 comentários:

B Cool disse...

é isso tudo patrão, recuperemos os nossos valores e adequemos a nossa prática aqueles que são os nossos valores matriciais. senão qualquer crápula pode sair-se com uma tirada e calar-nos, mesmo que não andemos a oferecer fruta ou ajudar bandeirinhas (que não o careca da amarelinha).

Pedro disse...

"Como seria se Gomes da Silva não tivesse que assobiar para o lado quando confrontado pelo Guilherme Aguiar sobre a subida do Alverca? Como seria se nós, nos blogs, não levássemos constantemente com os "pedidos" do Vieira (e não me venham com larachas), ou aos apoios secretos a prostitutas escritoras?"

Hein? Como? Estás a comparar? Larachas?? A sério? Larachas?

Assim é difícil...

POC disse...

É muito isto.
Primeiro há que limpar o Clube. Só depois atacar a corrupção.

Porque atacar a corrupção assim é atirar areia para os olhos. Ela não termina.

Sakana disse...

A rafeirada no seu melhor...ihihihih